Posted by
Convergência

DOCUMENTOS LISTANDO CRIMES DE 5 MINISTROS DO STF, SOLUÇÃO PARA O PROCESSO DE VOTAÇÃO E ESCRUTÍNIO NAS ELEIÇÕES, ATAQUES CIBERNÉTICOS EXTERNOS E PROJETO PARA AMAZÔNIA FORAM ENTREGUES E DISCUTIDOS COM O GENERAL HAMILTON MOURÃO

Brasília – Membros de movimentos ligados à Coalizão Convergências foram recebidos pelo Gen. Hamilton Mourão, Vice-Presidente da República, no último dia 11 do mês corrente. Estiveram presentes, além do Coordenador Nacional da Coalizão, Thomas Korontai, a Sra. Marta Serrat, responsável pelo agendamento e líder do Patriotas do Brasil. A convite de Marta, o Cel. Gélio Fregapani, especialista em estratégia internacional e contemporâneo da ativa com o Gen. Mourão, também se fez presente para levar sua proposta de ocupação da Amazônia por garimpeiros.

Korontai entregou ao Vice-Presidente alguns documentos com assuntos de grande importância para o Brasil. O primeiro deles foi elaborado pelo Dr. Maurício Pereira dos Santos, do República de Curitiba, contendo lista de crimes de diversas naturezas jurídicas comprovados e devidamente fundamentados de cinco ministros do Supremo Tribunal Federal,  com o objetivo de solicitar apoio às medidas que os Movimentos estão tomando no campo judicial, para que os mesmos sejam suspensos de suas atividades. A justificativa da entrega ao Vice-Presidente da República é a mesma que embasa as ações que estão sendo preparadas: Segurança Nacional.

Korontai explicou ao General, que a insegurança jurídica provocada pelas distorções jurídicas, violando a Constituição, soltando bandidos e condenados da Lava Jato dentre outros descalabros se configuram como riscos à Segurança Nacional, tanto pelo aspecto econômico quanto social. “A OCDE, onde o Brasil quer ingressar, cobra segurança jurídica e institucional” complementou. O documento entregue pode ser conhecido aqui.

Em seguida, abordou sobre outra carta relacionando-se à segurança eleitoral, violada pelo fato de não existir contraprova física de cada voto, o que impede a recontagem, se necessária. Marta Serrat lembrou que o Brasil é o único país do mundo a não ter tal contraprova. Mourão tomou conhecimento de outro aspecto, que é o financeiro, uma vez que as urnas eletrônicas, têm um custo em torno de R$ 16,00/eleitor enquanto que a de lona, menos de R$ 0,50/eleitor. O grupo ressaltou que o principal aspecto, contudo, é a ilegalidade do processo eleitoral, uma vez que o art. 37 da Constituição exige a publicidade de todos os atos praticados pelo Estado e o escrutínio (contagem dos votos) deve ser público e atualmente é feito de forma secreta pelas máquinas. Mais do que fraudes, há que se levar em conta a ilegalidade do processo eleitoral, tornando as eleições ilegítimas por vício de origem. Juntamente com esta carta, apontando e justificando a solução com as urnas de lona e cédulas de papel, outra carta, que já foi entregue ao presidente Bolsonaro e a diversos órgãos ed Segurança Nacional, assinada por dezenas de movimentos na coalizão Convergências, tratando e cobrando as autoridades sobre quais foram as providências acerca dos  ataques cibernéticos estrangeiros (Irã, Venezuela e Síria) durante as eleições do ano passado.

Finalmente, Korontai entregou um estudo prévio de um Projeto de Desenvolvimento Responsável para a Amazônia, que, com gerenciamento adequado dos recursos se poderá multiplicar o PIB brasileiro em 2,4 vezes, ocupando corretamente todo o território. O Projeto tem a autoria do prof. Francisco Campos Carvalho, membro do Instituto Federalista, um dos participantes frequentes da Coalizão.

Marta Serrat tratou ainda de assuntos pontuais de interesse estratégico.

O vice-Presidente da República ouviu com muito interesse os temas, recepcionou os documentos com o compromisso de estudá-los atentamente. Outras reuniões poderão ser marcadas para acompanhamento e novos subsídios.

Cópias das cartas entregues (Exceto documentos da Amazônia)
Crimes dos ministros2  STF  

CArta ao VP – sobre TSE – audiência 11.12