Posted by
Convergência

A ENTIDADE CONSIDERA QUE PARTIDOS NÃO PODEM FAZER “BY PASS” SOBRE O CONGRESSO EM TEMAS QUE SÓ CABEM AO LEGISLATIVO, ALÉM DA ABERRAÇÃO MORAL QUE SE PRETENDE IMPOR.
Ganhou-se também, tempo para obter muito mais assinaturas contra a ADI, veja ao final.

O Instituto Federalista ingressou neste dia 4 de novembro no STF, às 13h, com uma solicitação de participação no julgamento da ADI impetrada pelo Psol, partido político que defende pautas ultra progressistas. Na ADI, o partido quer que o STF julgue pela inconstitucionalidade da não imposição do ensino da ideologia de gênero nas escolas brasileiras, algo que já foi definido pelo Congresso Nacional em 2014.

A nova provocação do citado partido revoltou a maior parte da Sociedade Brasileira, motivando o Instituto Federalista a ingressar como parte do processo, indicando o Prof. Hermes Rodrigues Nery, formado em Bioética pela PUC/RJ e Coordenador do Movimento Legislação e Vida, para fazer a defesa oral no Plenário do STF, da tese contrária, ou seja, contra a efetivação da obrigatoriedade de imposição de tal tema nas escolas de todo o País. O advogado que atua na causa é o Dr. Maurício dos Santos Pereira, um dos fundadores da UNAB – União dos Advogados do Brasil.

Thomas Korontai, presidente do Instituto Federalista, disse que a entidade considera, “além da imoralidade que se pretende empurrar goela abaixo dos brasileiros, uma violação à separação dos Três Poderes, e também ao art. 61 da Constituição atual, que determina que nenhuma medida tendente a eliminar a Federação será considerada. Se isso for aprovado pelo STF, reforçará precedentes de tal violação constitucional, atacando o pouco que resta do Pacto Federativo.”

ADI RETIRADA DE PAUTA
No início da noite, chegou a notícia de que após reunião de senadores, deputados e membros das frentes e bancadas católica e evangélica com o Ministro Fux, Presidente do STF, o mesmo decidiu retirar a ADI da pauta marcada para o próximo dia 11. Isto não significa que o tema deixará de ser discutido pelo STF, ao contrário, voltará no próximo ano. Se a petição do Instituto Federalista for acolhida, está nas mãos do Ministro Edson Fachin, será a terceira organização não progressista, dentre as inúmeras outras defensoras de estranhas ideologias,  que participará do processo.

PETIÇÃO – ASSINATURAS
Está ativa a captação de assinaturas pela não aprovação da ideologia de gênero nas escolas. Já se chegou a mais de 44 mil asinatura. Como a ADI foi retirada de pauta, ganha-se tempo para ampliar o volume. Acesse aqui e deixe o seu não.