PROTOCOLADA CARTA ABERTA AO STF – “PUXÃO DE ORELHAS DA SOCIEDADE”

Foi protocolada a Carta Aberta criada no âmbito do Convergências e assinada por mais de 70 Movimentos Civis, chamando a atenção do STF pelos rumos que a instituição, que deve garantir a Constituição e, portanto, a estabilidade jurídica e institucional do País, está tomando de uns anos para cá, e muito especialmente em face das decisões monocráticas tomadas pelo Ministro Gilmar Mendes.

As ativistas do Movimento Rua Brasil, que atuam em nome do Convergências em Brasília, efetivou a medida, Lúcia Otoni (foto) e Ray Alves, e agora espera-se pelo pronunciamento da Sra. Ministra Carmem Lúcia, que preside a instituição.

Está sendo protocolizada também, uma Carta à Procuradora Geral da República, Dra. Raquel Dodge, encaminhando este expediente para conhecimento e solicitando providências nos termos da Constituição, para que se restaure a confiança no STF.

A matéria original deste fato pode ser vista aqui.

 

A Carta pode ser vista e baixada aqui

4 Comentários

  1. A que ponto chegamos.
    É maior degradação daquele que deveria dar exemplo ao povo brasileiro.
    Todos com decisões favoráveis aos seus apadrinhados.
    LAMENTAVEL!!!!!!

  2. Fico feliz em constatar Que, mesmo que devagar, mas agindo sempre, a sociedade civil brasileira vai reagindo aos tropeços do STF, exigindo que se preserve a confiança nele depositada pela nação.

  3. LINK: http://bradoemunissono.blogspot.com.br/2018/01/2018-great-challenges-to-be-surpassed.html

    #2018 GREAT CHALLENGES TO BE SURPASSED IN BRAZIL
    • Soon in Porto Alegre – the Party of the lie in concert. See Percival Puggina video LINK: https://www.youtube.com/watch?v=sI7-KOT22mY#action=share
    • Brazilian National Union of Federal Judges (Unajuf) calls into question the electronic ballot system security of Superior Electoral Court (TSE)
    • Leader and Statesman of the Federalist Movement is received at Transparency International (#TK at TI)

    SOURCE/LINK: https://www.youtube.com/watch?v=sI7-KOT22mY#action=share

    SOON IN PORTO ALEGRE – THE PARTY OF THE LIE (THE BRAZILIAN WOKERS’s PARTY – PT) IN CONCERT
    1.405 views

    SOURCE / LINK: http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,unajuf-questiona-tse-so-seguranca-do-sistema-de-urnas-eletronicas,70002105057
    Brazilian National Union of Federal Judges (Unajuf) calls into question the electronic ballot system security of Superior Electoral Court (TSE)
    President of the entity sent request with 17 technical questions; Public Safety Test 2017 found system failures in three points
    Marianna Holanda, O Estado de S.Paulo
    01 December 2017 | 9:39 pm
    The president of the National Union of Federal Judges (Unajuf), Eduardo Cubas, presented last Wednesday, 29, an application to the Superior Electoral Court (TSE) questioning the security of the electronic ballot system.

    ++ Network and PSOL give way to independent applications in 2018

    “Unajuf proposed to make this request first because of the invitation of the High Electoral Court itself and secondly because we really have serious doubts about the suitability of the elections,” said Cubas.
    Privacy Policy

    Receive quality content in your email
     
    Sign
    The request was delivered during the public hearing of the TSE, in the scope of the Public Safety Test 2017 of the electronic voting system – which has been held since Wednesday and ended on Friday, 1st, in Brasilia. Performed with hackers from different institutions, the test identified flaws in three important points of the polls. According to the court, they will be corrected and there is no risk in the 2018 election.
    The questions ask if there is a possibility of contamination of the pen drive by virus type programs (the result of the urns is carried by a pen drive); if it is possible to prove mechanically that the vote of the voter after the appearance of the photo of the candidate really was destined for the candidate; whether it is possible to have spy-type program insertion in the source code program of the ballot boxes; among others.
    The document, with 17 questions, was subscribed by the jurists Luiz Flávio Gomes and Modesto Carvalhosa – who is a candidate for the Planalto, in case the Federal Supreme Court (STF) authorizes independent candidacies in the lawsuit.
    The questions also have an interest in whether the system would entail a possible insertion of non-party applications. “Is the program prepared to include other types of applications as independent or non-partisan applications?” He asks.
    In October, the Supreme Federal Court (STF) unanimously acknowledged that decision on individual applications has an effect of general repercussion. Ministers, however, have not yet considered the merits of the matter. Days before the trial, the Attorney General of the Republic, Raquel Dodge, gave a favorable opinion to the possibility of independent candidacies. / COLLABORATED RICARDO GALHARDO

    More content about:
    TSE [Superior Electoral Court] Modesto Carvalhosa
    Have you found an error? Contact
    Follow the Estadão
        • Moving Real Estate pyright © 1995 – 2018 Grupo Estado
        •

    ==//==
    SOURCE / LINK: http://www.movimentofederalista.org.br/lider-of-mobile-federalista-and-received-in-transparency-international/
    Since 1991 building a new History for Brazil

    LEADER OF THE BRAZILIAN FEDERALIST MOVEMENT IS RECEIVED AT TRANSPARENCY INTERNATIONAL
    by Thomas Korontai · Published January 11, 2018 · Updated January 12, 2018
    BALLOT AND THE VOTING PROCESS, FEDERATIVE AND STRUCTURAL REORGANIZATION OF THE BRAZILIAN STATE FOR THE REDEMPTION OF CONFIDENCE IN THE INSTITUTIONS, INCLUDING STF AS COMBAT AND ELIMINATION OF CORRUPTION – ISSUES TREATED IN BERLIN

    Thomas Korontai, who traveled to Europe for political, commercial and institutional purposes, was received by Transparency International (TI) Latin American advisory council members in Berlin, Federal Capital of Germany. The issue dealt with was corruption and what ways to combat it and compliance tools.
    Korontai explained about the Federalist Movement, demonstrating that reforming the state model for a federation of autonomous states, as well as reforming the legal-administrative-legislative model will eliminate the cause of corruption, widening the effects dramatically. There was full agreement with the concept, adding the need, however, for the adoption of models that inhibit the creation of new means of corruption from the new premises, when cities, for example, will have much more power. IT has a huge web of global information, and proposals for combating and eliminating pockets of corruption around the world. Obviously, the application of such tools depends on political decisions, and Korontai explained that with a new state model it will be possible to seek out and implement the best complience solutions in the three spheres of power and also in the Three Powers. “It is not possible to apply anti-corruption solutions when those interested in maintaining it dominate the institutions, the state as a whole,” recalls Korontai, explaining about his visit to the renowned institution in the German capital.
    With a model of the constitutional essay, with which he presented the councilors, Korontai reported the possibility of putting the whole project of transformations of the country into practice already from the next elections this year, if the approval of the candidature is obtained, in judicial process who will join the STF in a few days. IT is not involved in party politics, but it was necessary to explain the whole proposed path, since a new Constituent Assembly would be a disaster for the country in this moment of absolute uncertainties. The popular referendum, after the election of a president of the Federalist Republic, to obtain approval of the referendum by Congress may be the only possible way to achieve this proposal. The federalist leader declared that he is completely committed to eliminating corruption, not only because of its immoral aspect, but because of the harmful effects on the Society, and can even be considered, to some degree, as causing even death, when resources are diverted indirectly or through health, infrastructure, security and education superfatures, and in the latter, the future of generations is compromised. He told the report that “corruption, depending on the degree to which it was practiced, should be considered a heinous crime.”
    URNAS ELECTRONICS
    Elections also require transparency and methodologies that allow the full reliability of the electoral process. Korontai explained about the current system in Brazil and the absurdities practiced by the Supreme Electoral Tribunal (TSE), refusing systematically to have any physical counter-votes. He spoke about Convergences, of which the Federalist Movement is a member, and which coordinates, composed of almost one hundred civil movements, the struggles fought by several of its members with the TSE and Popular Action being proposed in the Federal Judiciary to demand that the institution organize the electoral sections with paper ballots for the exercise of the vote when an electronic with a coupled printer is not available. He told the councilors that this Action, if successful, could change the history of elections and political life, bringing back the lost transparency.

    The doors are open, therefore, so that talks with IT begin in order to seek cooperation agreements with the Federalist Institute, technical, cultural and academic entity, under which the work of drafting the New Constitution for Brazil , since such concepts could be used in the future Charter to be proposed to the People.
    Thomas Korontai will still be in the next in Portugal (he has already been in Hungary on business), where he will meet with local IT chapter officials as well as journalists and political figures.

    Korontai in front of the entrance of the building where TI
    Share

    ==//==
    SOURCE / LINK: http://www.puggina.org/artigo/puggina/conheca-defensores-de-defensores-de-impuni/10951

    KNOW THE THOUGHT OF DEFENDERS OF IMPUNITY AND EASILY SET AT LIBERTY IN BRAZIL
    by Percival Puggina. Article published on 01/14/2018

    To understand what the ideological current thinks, largely due to the leniency of Brazilian criminal law, the fragile criminal execution and the explosion of crime in Brazil, nothing better than reading what its supporters write. The opinions below were taken from the quotations contained in a single text, by Prof. Leonardo Issac Yarochewsky. The full article can be read here, and it has the arrogant title “The Punisher Sanha and / or the Boorality of the Discourse of Impunity”. Imagine the rest of the library …

    Ricardo Genelhú, Post-Doctor in Criminology from the Universität Hamburg:

    “The discourse against impunity has served as a motive for a supposed restoration of ‘social security’ when in fact it serves itself, per se, it is an excuse for the persecution of the ‘other’

    “And the ‘discourse of impunity’, with its neurotic essay promoted by people with omnipotence of thought, has powerfully served much more to ‘justify’, ‘ratify’ or ‘maintain’ the exclusion of tragically guilty ‘invisible social’ therefore, included by approximation with the ‘enemies’ (resemblance), than to demonstrate the selective and structural fallibility of the penal system before and after a ‘crime’ is practiced, or as long as it maintains a publicity reserve, or because it is unsuitable of the private daily life, or because it is indespertadora of the media greed. “(1)

    Leonardo Issac Yarochewsky – Criminal Lawyer and Doctor of Criminal Sciences from UFMG:
    “It is certain that the mediatic discourse – media criminology – of impunity, contributes greatly to the advance of the authoritarian state and to the wrath of punitivism.Atouched by media criminology and the discourse of impunity, politicians tend to present bills with authoritarian bias, conservative and reactionary. “(2)
    “It can not be forgotten that imprisonment has been the main form of punishment for the” dangerous “,” vulnerable “,” stereotyped “and” tagged “for more than two centuries, for criminals (primary and secondary criminalization) ) by reason of a process of stigmatization, according to the ideology and the dominant system. “(2)

    Salo de Carvalho – Lawyer and professor of Criminal Law:
    “The contemporary symptom of the will to punish, affects Western countries and destabilizes the substantial sense of democracy, fosters the emergence of punitive populist macro-politics (punitive populism), political-criminal imprisonment movements (law and order and zero tolerance) and criminological theories neoconservatives (acting, managerialism and systemic functionalism) “(3)
    Marildo Menegat – PhD in Philosophy at USP:
    “The best thing to do today is to make this debate public, which means politicizing it, because it is the only way to put an end, perhaps to the martyrdoms and sacrifices that have always been practiced by this species which, by a miracle of chance, if a way of life, I still think, intelligent. It is time to give ourselves up to the realization of freedom, and for this, the end of prisons becomes imperative. ” (4)
    I reiterate: Imagine the rest of the library and its consequences in the law classrooms.
    __________________________________________
    [1] GENELHÚ, Ricardo. From the discourse of impunity to impunity: the criminal system of Brazilian capitalism and the destruction of democracy. Rio de Janeiro: Revan, 2015.
    [2] YAROCHEWSKY, Leonardo Issac. Article “The punitive aspect and / or the validity of the discourse of impunity”, http://emporiododireito.com.br/backup/a-sanha-punitivista-eou-a-local-discourse-of-impunidade-por- leonardo-isaac-yarochewsky /
    [3] CARVALHO, Salo. The role of actors in the criminal justice system in the era of punitivism. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010
    [4] MENEGAT, Marildo. Open air prisons. In: Seminar after the great incarceration. Organization Pedro Vieira Abramovay, Vera Malaguti Batista. Rio de Janeiro: Revan, 2010.

    To share

    comments
    Genaro Faria. 15.01.2018

    God forbid us from human rights defenders (read: from the hands), because of the criminals we ourselves know how to get rid of. But it never hurts to remember that genocides, the extermination of peoples as a method of government, arrests for “crimes of opinion,” summary executions and other atrocities of totalitarian regimes were born in universities, academic centers and literary production of these “libertarians” “.

    Luis Gonzaga de Paulo. 15.01.2018
    The libertarian and egalitarian thought of this bunch of crooks is very beautiful, but none of them wants to take a detainee home to “re-socialize”

    ==//==
    SOURCE/LINK: http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,unajuf-questiona-tse-sobre-seguranca-do-sistema-de-urnas-eletronicas,70002105057

    Unajuf questiona TSE sobre segurança do sistema de urnas eletrônicas
    Presidente da entidade enviou requerimento com 17 perguntas técnicas; Teste Público de Segurança 2017 encontrou falhas no sistema em três pontos
    Marianna Holanda, O Estado de S.Paulo
    01 Dezembro 2017 | 21h39
    O presidente da União Nacional dos Juízes Federais (Unajuf), Eduardo Cubas, apresentou na última quarta-feira, 29, um requerimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) questionando a segurança do sistema de urnas eletrônicas.
    ++ Rede e PSOL dão guarida para candidaturas independentes em 2018
    “A Unajuf se propôs a fazer esse requerimento primeiro em razão do convite do próprio Tribunal Superior Eleitoral, e segundo porque realmente temos sérias dúvidas sobre a idoneidade das eleições”, afirmou Cubas. 
    Newsletter Política
    Receba no seu e-mail conteúdo de qualidade

    Assinar
    O requerimento foi entregue durante a audiência pública do TSE, no âmbito  do Teste Público de Segurança 2017 do sistema eletrônico de votação – que acontece desde quarta e encerrou nesta sexta-feira, 1º, em Brasília. Realizado com hackers de diferentes instituições, o teste identificou falhas em três pontos importantes das urnas. De acordo com o tribunal, elas serão corrigidas e não há risco na eleição de 2018.
    As questões indagam se há possibilidade de contaminação do “pen drive” por programas tipos vírus (o resultado das urnas é transportado por um pen drive); se é possível comprovar mecanicamente que o voto do eleitor após o aparecimento da foto do candidato realmente tenha sido destinado ao candidato; se é possível haver inserção de programa do tipo espião no programa de código de fonte das urnas; entre outras.
    O documento, com 17 questões, foi subscrito pelos juristas Luiz Flávio Gomes e Modesto Carvalhosa – que se coloca como pré-candidato ao Planalto, caso o Supremo Tribunal Federal (STF) autorize candidaturas independentes no pleito.  
    As perguntas também têm interesse em saber se o sistema comportaria uma eventual inserção de candidaturas sem partido. “O programa é preparado para inclusão de outros tipos de candidaturas como candidaturas independentes ou apartidárias?”, questiona. 
    Em outubro, o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu, por unanimidade, que decisão sobre candidaturas avulsas tem efeito de repercussão geral. Os ministros, contudo, ainda não analisaram o mérito da questão. Dias antes do julgamento, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, deu parecer favorável à possibilidade de candidaturas independentes.  / COLABOROU RICARDO GALHARDO
     
    Mais conteúdo sobre:
    TSE [Tribunal Superior Eleitoral] Modesto Carvalhosa
    Encontrou algum erro? Entre em contato
    Siga o Estadão
    • Moving Imóveis pyright © 1995 – 2018 Grupo Estado

    ==//==
    ==//==

    SOURCE/LINK: http://www.movimentofederalista.org.br/lider-do-movimento-federalista-e-recebido-na-transparency-international/

    Desde 1991 construindo uma nova História para o Brasil

    LÍDER DO MOVIMENTO FEDERALISTA É RECEBIDO NA TRANSPARENCY INTERNATIONAL
    por Thomas Korontai · Published 11 de janeiro de 2018 · Updated 12 de janeiro de 2018
    URNAS E PROCESSO DE VOTAÇÃO, REORGANIZAÇÃO FEDERATIVA E ESTRUTURAL DO ESTADO BRASILEIRO PARA O RESGATE DA CONFIANÇA NAS INSTITUIÇÕES, INCLUINDO O STF COMO MEIOS DE COMBATE E ELIMINAÇÃO DA CORRUPÇÃO – TEMAS TRATADOS EM BERLIM
    Thomas Korontai, em viagem pela Europa com objetivos políticos, comerciais e institucionais, foi recebido nesta data, em Berlim,  Capital Federal da Alemanha, por membros conselheiros para a América Latina da Transparency International (TI). O assunto tratado foi corrupção e quais as formas de se combatê-la e ferramentas de compliance.
    Korontai explicou sobre o Movimento Federalista, demonstrando que a reforma do modelo de Estado para uma federação de estados autônomos, bem como, a reforma do modelo jurídico-administrativo-legislativo eliminará a causa da corrupção, ampliandoreduzindo os efeitos drasticamente. Houve plena concordância com o conceito, acrescentando-se a necessidade, contudo, da adoção de modelos que inibam a criação de novos meios de corrupção a partir das novas premissas, quando as cidades, por exemplo, terão muito mais poder. A TI tem uma teia enorme de informações globais, e propostas para o combate e eliminação dos focos de corrupção em todo o mundo. Obviamente que a aplicação de tais ferramentas depende de decisões políticas, e Korontai explicou que, com um novo modelo de Estado será possível se buscar e implementar as melhores soluções de complience nas três esferas de poder e também nos Três Poderes. “Não é possível se aplicar soluções anti-corrupção quando os interessados em mantê-la dominam as instituições, o Estado como um todo”, lembra Korontai, ao explicar sobre sua visita à renomada instituição na capital alemã.
    Com um modelo do ensaio constitucional, com o qual presenteou os conselheiros, Korontai relatou a possibilidade de pôr todo o projeto de transformações do País em prática já a partir das próximas eleições deste ano, caso se consiga a aprovação da candidatura avulsa, em processo judicial que ingressará no STF em alguns dias. A TI não se envolve com política partidária, porém foi necessário se explanar todo o caminho proposto, pois uma nova Assembleia Constituinte seria um desastre para o País neste momento de incertezas absolutas. O referendo popular, a partir da eleição de um presidente da República federalista, com a obtenção da aprovação do referendo pelo Congresso pode ser o único caminho possível para a obtenção de êxito desta proposta. O líder federalista declarou que está completamente comprometido com a eliminação da corrupção, não apenas pelo seu aspecto imoral, mas pelos efeitos danosos à Sociedade, podendo ser considerado até mesmo, em determinados graus, como causadores até de mortes, quando se desviam recursos indiretamente ou por meio de superfaturamentos da Saúde, Infraestrutura, Segurança e Educação, sendo que nesta última, se compromete o futuro de gerações. Ele disse à reportagem, que “a corrupção, dependendo do grau na qual foi praticada, deveria ser considerada crime hediondo”.
    URNAS ELETRÔNICAS
    Eleições também exigem transparência e metodologias que permitam a plena confiabilidade do processo eleitoral. Korontai explanou sobre o sistema em curso no Brasil e dos absurdos praticados pelo TSE – Tribunal Superior Eleitoral – recusando-se sistematicamente a ter qualquer contraprova física dos votos. Falou sobre o Convergências, do qual o Movimento Federalista é integrante, e o qual coordena, composto por quase cem movimentos civis, das lutas travadas por diversos de seus membros junto ao TSE e da Ação Popular que está sendo proposta no Judiciário Federal, para exigir que a instituição organize as seções eleitorais com cédulas de papel para o exercício do voto quando não se dispuser urna eletrônica com impressora acoplada. Ele disse aos conselheiros que esta Ação, se resultar bem sucedida, poderá mudar a história das eleições e da vida política, trazendo de volta a transparência perdida.
     
    As portas estão abertas portanto, para que que se iniciem conversações com a TI a fim de buscar  acordos de cooperação com o Instituto Federalista, entidade técnica, cultural e acadêmica, sob o qual, se desenvolvem os trabalhos de elaboração da Nova Constituição para o Brasil, uma vez que, tais conceitos poderão ser aproveitados na futura Carta a ser proposta ao  Povo.
    Thomas Korontai ainda estará na próxima em Portugal (já passou pela Hungria, a negócios), onde terá encontros com autoridades do capítulo local da TI, bem como, jornalistas e personalidades políticas.
     

    Korontai diante da entrada do prédio no qual se localiza a TI
    Share

    0

    0
    Você pode gostar…
    • 1
    VAMOS NOS CURVAR À CRIMINALIDADE?
    31 de janeiro de 2017
    • 4
    No Brasil atual é impossível fazer uma reforma tributária.
    29 de novembro de 2017

    Movimento Federalista © 2018. Todos Direitos Reservados.
    Powered by  – Designed with the Hueman theme

    ==//==

    SOURCE/LINK: http://www.puggina.org/artigo/puggina/conheca-o-pensamento-dos-defensores-da-impuni/10951

    Conservadores e Liberais
    • Artigos
    • Vídeos
    • Sobre o Percival Puggina
    • Fique Sabendo
    • Imagem Comentada
    • Contato
    • Livros do autor
    • Outros Autores
    Artigos do Puggina
    Voltar para listagem
    CONHEÇA O PENSAMENTO DOS DEFENSORES DA IMPUNIDADE E DO DESENCARCERAMENTO
    por Percival Puggina. Artigo publicado em 14.01.2018

    Para entender o que pensa a corrente ideológica que, em boa parte, responde pela leniência da legislação penal brasileira, pela frágil execução penal e pela explosão da criminalidade no Brasil, nada melhor do que ler o que escrevem seus adeptos. As opiniões abaixo foram colhidas das citações contidas em um único texto, da autoria do prof. Leonardo Issac Yarochewsky. O artigo completo pode ser lido aqui, e tem o arrogante título “A sanha punitivista e/ou a boçalidade do discurso da impunidade”. Imaginem o resto da biblioteca…
    Ricardo Genelhú, Pós-doutor em Criminologia pela Universität Hamburg:
    “o discurso contra a impunidade tem servido de motivo para uma suposta restauração da ‘segurança social’ quando na verdade, serve ela mesma, per se, é de desculpa para a perseguição ao “outro”(…)
    “E o ‘discurso da impunidade’, com seu ensaio neurótico promovido por pessoas com onipotência de pensamento, tem poderosamente servido muito mais para ‘justificar’, ‘ratificar’ ou ‘manter’ a exclusão dos ‘invisíveis sociais’, tragicamente culpados e, por isso, incluídos por aproximação com os ‘inimigos’ (parecença), do que para demonstrar a falibilidade seletiva e estrutural do sistema penal antes e depois que um ‘crime’ é praticado, ou enquanto se mantiver uma reserva delacional publicizante, seja porque inafetadora do cotidiano privado, seja porque indespertadora da cobiça midiática.”(1)
    Leonardo Issac Yarochewsky – Advogado Criminalista e Doutor em Ciências Penais pela UFMG:
     “É certo que o discurso midiático – criminologia midiática – da impunidade, contribui sobremaneira para o avanço do Estado autoritário e para a cólera do punitivismo.Atingidos pela criminologia midiática e pelo discurso da impunidade, políticos tendem a apresentar projetos de leis com viés autoritário, conservador e reacionário.” (2)
    “Não se pode olvidar que a prisão continua sendo há mais de dois séculos a principal forma de punição para os “perigosos”, “vulneráveis”, “estereotipados” e “etiquetados”, enfim, para os que são criminalizados (criminalização primária e secundária) em razão de um processo de estigmatização, segundo a ideologia e o sistema dominante.” (2)
    Salo de Carvalho – Advogado e professor de Direito Penal:
    “o sintoma contemporâneo vontade de punir, atinge os países ocidentais e que desestabiliza o sentido substancial de democracia, propicia a emergência das macropolíticas punitivistas (populismo punitivo), dos movimentos políticos-criminais encarceradores (lei e ordem e tolerância zero) e das teorias criminológicas neoconservadoras (atuarismo, gerencialismo e funcionalismo sistêmico)”(3)
    Marildo Menegat – Pós-doutor em Filosofia pela USP:
    “O melhor a fazer hoje é tornar público este debate, o que significa politizá-lo, pois é o único caminho para pôr termo, quem sabe aos martírios e sacrifícios desde sempre praticados por esta espécie que, por um milagre do acaso, fez-se uma forma de vida, ainda penso, inteligente. É hora de nos entregarmos à realização da liberdade, e, para isso, o fim das prisões torna-se imperativo”. (4)
    Reitero: imaginem o resto da biblioteca e suas consequências nas salas de aula dos cursos de Direito.
    __________________________________________
    [1] GENELHÚ, Ricardo. Do discurso da impunidade à impunização: o sistema penal do capitalismo brasileiro e a destruição da democracia. Rio de Janeiro: Revan, 2015.
    [2] YAROCHEWSKY, Leonardo Issac. Artigo “A sanha punitivista e/ou a boçalidade do discurso da impunidade”, http://emporiododireito.com.br/backup/a-sanha-punitivista-eou-a-bocalidade-do-discurso-da-impunidade-por-leonardo-isaac-yarochewsky/
    [3] CARVALHO, Salo. O papel dos atores do sistema penal na era do punitivismo. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010
    [4] MENEGAT, Marildo. Prisões a céu aberto. In: Seminário depois do grande encarceramento. Organização Pedro Vieira Abramovay, Vera Malaguti Batista. Rio de Janeiro: Revan, 2010.
     
    Compartilhar

    Comentários
    Genaro Faria . 15.01.2018
    Deus nos livre dos defensores dos direitos humanos (leia-se: dos manos), porque dos criminosos nós mesmos sabemos nos livrar. Mas nunca é demais lembrar que os genocídios, o extermínio de povos como método de governo, as prisões por “crimes de opinião”, as execuções sumárias e outras atrocidades dos regimes totalitários nasceram nas universidades, nos centros acadêmicos e na produção literária desses “libertários”.
    Luis Gonzaga de Paulo . 15.01.2018
    Muito bonito o pensamento libertário e igualitário dessa corja, mas nenhum deles quer levar para casa um detento para o “ressocializar”, né? Nenhum mora nas periferias, morros, “comunidades”… E aposto que nenhum deles defende apenados que não têm dinheiro para contratar advogados. E se forem assaltados, roubados ou sofrerem qualquer ameaça por parte dos “excluídos”, chamarão a polícia sem exitar!
    Fabiana Alves . 15.01.2018
    Escreveram, teorizaram, criticaram, enfim, falou, falou e nada de apresentar uma solução para a criminalidade. E percebe-se pelo texto o desprezo da pessoa não só pelo Movimento em si, mas até para as demais pessoas “comuns” que também querem uma ação contra a impunidade. Eles deveriam consultar as vítimas antes de publicarem esses textos “acadêmicos” que adoram “politizar” a questão. É preocupante que são essas “cabeças” que estão na Universidade “formando” os novos profissionais de Direito.
    Odilon Rocha . 14.01.2018
    Caro Professor Um dos citados, o ilustríssimo “pensador” Marido Menegat, deve ter feito o pós-Doutorado parte em Cuba, uma prisão a céu aberto, parte na Venezuela, um campo de concentração, também a céu aberto, fontes de sua inspiração. Só pode ser.
    1/1
    DEIXE SEU COMENTÁRIO
    Nome
    E-mail
    Comentario
    Artigos do Puggina
    14.01.2018
    CONHEÇA O PENSAMENTO DOS DEFENSORES DA IMPUNIDADE E DO DESENCARCERAMENTO
    Para entender o que pensa a corrente ideológica que, em boa parte, responde pela len…
    12.01.2018
    CERTO, CERTO. NO ENTANTO…
       As únicas pessoas interessadas na posse de Cristiane Brasil no Ministé…
    11.01.2018
    POR QUE O PT DENUNCIA GOLPISMO NOS PROCESSOS CRIMINAIS CONTRA LULA?
       Réu em sete ações penais, já condenado numa delas, e é tudo golpe? Na …
    VER TODOS

    puggina

    THE END

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.


*